CBD: efeitos adversos ao pormenor

0 Comments

O canabidiol é estudado há muito anos e os resultados têm sido publicados em diversas publicações científicas. O site Pubmed é uma das principais fontes de informação pública acerca do canabidiol, canabinóides e canabis medicinal. Desde há vários anos que os investigadores não apresentavam contra-indicações formais quanto a tomar canabidiol (CBD).

Recentemente, um grupo de pesquisadores efetuou uma revisão sistemática e de metanálise de ensaios clínicos randomizados, com a lente científica a procurar resultados quanto a possíveis efeitos adversos do CBD.

O trabalho foi realizado por investigadores do King’s College de Londres, Addiction and Mental Health Group (Grupo de Saúde Mental e Dependência, em tradução livre) e pelo Instituto Nacional de Pesquisa e Saúde.

Como esclarece a publicação de Abril de 2020 no site Pubmed, foram incluídos ensaios clínicos randomizados, duplo-cegos, controlados por placebo e com duração igual ou superior a sete dias. Realizaram-se 12 ensaios que reuniram informação e dados de 803 participantes.

CBD é tolerado pela maioria das pessoas

Analisaram-se situações diversas como diminuição de apetite, sonolência ou sedação, problemas relacionados com função hepática, diarreia e pneumonia.

Algumas destas condições – pneumonia, sonolência/sedação ou constrangimento de função hepática – foram associadas a tratamentos na epilepsia infantil. Os investigadores assumiram que o CBD interagiu com a medicação que estava a ser administrada, como Clobazam e/ou Valproato de Sódio.

Excluindo a situação específica de epilepsia infantil, o único resultado co-lateral associado ao CBD foi diarreia. Os pesquisadores concluíram que o canabidiol é bem tolerado pela maioria das pessoas, sem efeitos adversos associados. Este resultado vem na linha de outros estudos já publicados sobre esta substância, que ocorre naturalmente na cannabis. Alguns trabalhos científicos têm como denominador comum eventuais distúrbios intestinais como uma “contra-indicação” do CBD.

O canabidiol é aconselhado em diversas patologias, como em alguns casos de cancro, por exemplo. Em Portugal, o potencial terapêutico do CBD e outros canabinóides é reconhecido pelo Infarmed, que tem uma lista de aprovações própria.

Tal como noutras situações estudadas e acompanhadas por médicos e investigadores, aconselha-se tomar CBD sob aconselhamento e acompanhamento de um profissional de saúde capacitado.